sexta-feira, 21 de setembro de 2007

EU NÃO VI, mas...


Como já dizia Sílvio Santos: "O filme é muio bom. O filme é ótimo. Eu não vi, pois o filme é inédito. Mas minha mulher viu, minha filha viu, meu síndico viu,..."
Agora que 'Tropa de Elite' já teve sua primeira sessão no cinema, todo mundo pode dizer sem medo ou hipocrisia que viu, sim, e daí?
Claro que a qualidade do filme é excelente, e que a gente sai do cinema (?) meio como saía de 'assassinos por natureza', doido prá alguém mexer ou olhar estranho e a gente poder exercitar nossa inteligência transbordando pela mão em soco.
Claro que é um retrato corajoso de como o sistema faz tudo pro próprio sistema não funcionar. Mas confesso que me preocupa a polêmica em torno do filme ser focada só na pirataria. Que por mais que ele retrate uma realidade, a realidade retratada não foi questionada nem um pouco. Pelo contrário. Fica só uma afirmação: A REALIDADE É ASSIM. E PRONTO. Quem não sabe disso é alienado. Mas o problema aí não está em saber ou não saber. Está na aceitação disso tudo sem o mínimo questionamento, sem a menor perturbação das almas.
Então o filme, que era prá ser polêmico - pois descreve os tipos mais medonhos que a gente convive, pois coloca a tortura como instrumento plausível de ser usada, amplamente aceitável dentro do contexto, pois levanta que o uso da força é o que vale - acaba sendo um filme descritivo.
Eu me choco quando vejo que a tortura ainda é usada. E muito. Mas me choco mais ainda quando ela é aceita sem pestanejar como mero fator da realidade. Imutável. Certa. Cristalizada.
E você? Qual a cor da sua farda?
Postar um comentário